PROVISÕES E PASSIVOS CONTINGENTES: CARACTERÍSTICAS E RECONFIGURAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO BRASILEIRAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51320/rmc.v23i1.1328

Palavras-chave:

reconfiguração, companhias abertas brasileiras, provisões e passivos contingentes

Resumo

A normatização das provisões e dos passivos contingentes é essencial para inibir a assimetria das informações e buscar sua fidedignidade. As provisões e passivos contingentes têm sido foco de notícias no mercado e têm a atenção de pesquisadores que buscam compreender como os gestores tomam decisões sobre esses processos que justificam suas classificações. O presente artigo tem como objetivo analisar as características das provisões e dos passivos contingentes e o reflexo da reconfiguração das contingências nas companhias abertas brasileiras listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3). Para a consecução do objetivo, realizou-se uma análise abrangente que contemplou as características, as mudanças da chance de perda dos processos e a reconfiguração das classificações. Por meio da análise dos formulários de referências de 2010 a 2019, foram encontrados 7.233 processos. Os processos cíveis e tributários possuem quantidade superior às demais classificações. Foram verificadas 1.118 mudanças na chance de perda, a maior quantidade de alteração da chance de perda foi para a classificação possível, totalizando 402 alterações, e a maior quantidade de alterações nas chances de perda de uma classificação para outra é realizada de possível para remota, totalizando 234 alterações. Com a reclassificação dos passivos contingentes para provisões, muitas das empresas analisadas passariam a ter prejuízo. Concluiu-se, a partir de testes de diferença de média que, a reclassificação das contingências causaria grande impacto no resultado das empresas, o que indica que as empresas devem evidenciar com cautela os riscos a que estão sujeitas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suliani Rover, UFSC

Professora do Departamento de Ciências Contábeis e do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade (PPGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (Linha de Pesquisa: Contabilidade para Usuários Externos - FEA/USP), mestre em Contabilidade e bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Recebeu premiações de melhor trabalho no 9° Congresso UFSC Controladoria e Finanças, XXII Congresso Brasileiro de Custos, 13 ECECON, 12 ECECON, 2 Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade e no 18 Congresso Brasileiro em Contabilidade (CFC). Participou de diversos eventos na área de Administração e Contabilidade e possui artigos publicados em revistas da área. Desenvolve pesquisas nas áreas de Contabilidade Financeira, Qualidade da Informação Contábil, Evidenciação e Sustentabilidade, Modelos Multivariados Aplicados à Contabilidade e Finanças e Ensino e Pesquisa em Contabilidade.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

Carvalho Borges, B., & Rover, S. (2022). PROVISÕES E PASSIVOS CONTINGENTES: CARACTERÍSTICAS E RECONFIGURAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO BRASILEIRAS. Revista Mineira De Contabilidade, 23(1), 21–32. https://doi.org/10.51320/rmc.v23i1.1328

Edição

Seção

Artigos científicos: